Senegal diminui a incidência do Ebola por meio de campanhas via SMS

8 jul
Senegal diminui a incidencia do Ebola por meio de campanhas via SMS

Senegal diminui a incidencia do Ebola por meio de campanhas via SMS

 

O conceito que vem auxiliando governos mundo afora no combate a epidemias e prevenção de doenças via novas plataformas chega ao Brasil.

Não é novidade que o Ebola é uma das doenças mais contagiosas e mortais do mundo e quando um senegalês voltou de uma viagem contaminado, o Governo daquele país junto à Organização Mundial da Saúde (OMS) executaram uma força tarefa no combate à transmissão da doença. Entre os esforços, o envio de mais de 4 milhões de mensagens via SMS alertando sobre os riscos de contaminação, oferecendo dicas de prevenção, e encorajando a população a reportar casos de pessoas que apresentassem os sintomas da doença. 42 dias depois, a OMS oficializou a erradicação da epidemia no País.

Plataformas digitais podem ser aplicadas em muitas outras iniciativas para otimizar o sistema público de saúde. Neste caso, o programa que combateu o Ebola foi uma adaptação de um anterior, criado para ajudar diabéticos no controle da doença.  Este é um bom exemplo de como a Gestão de Saúde Populacional via plataformas digitais pode auxiliar a administração pública no controle, prevenção e conscientização de  doenças, epidemias e mudanças de hábitos.

No Brasil

O conceito de gerir a saúde da população via campanhas digitais ainda é novo no Brasil, mas já existem algumas prefeituras que adotaram o modelo, como a de Palmeira dos Índios, em Alagoas, que utiliza o programa no combate à propagação do Aedes Egypti (mosquito transmissor da Dengue, Chikungunya e Zika) em duas frentes, tanto para controlar a transmissão das doenças como para orientar gestantes da cidade sobre microcefalia.

Para o co-fundador da Ta.Na.Hora, Juliano Froehner,  quando aplicada na gestão do sistema público de saúde, a ferramenta pode reduzir até 40% dos custos, pois 80% dos problemas que atingem a saúde da população poderiam ser resolvidos através de ações preventivas. O sistema de gestão populacional idealizado pela empresa é especializado na ciência do comportamento e engajamento, duas áreas fundamentais para que as medidas de prevenção de doenças e promoção da saúde consigam alcançar resultados positivos. “Nossa plataforma é um instrumento de diálogo e nessa parceria com a Prefeitura de Palmeira dos Índios iremos engajar a população com ações de proteção individual e comunitária. Esse será um programa pioneiro de vigilância epidemiológica para reduzir a densidade do vetor da Dengue e Zika Vírus com o uso de comunicação via celular”, explica Froehner.

Além do controle de epidemias, maternidade e gestão de doentes crônicos, as campanhas via SMS tratam também sobre saúde em família. Todos ganham, da população aos Governos. Vale lembrar que outra vantagem de se realizar campanhas de saúde por meio de SMS é o grande alcance, já que 125 milhões de brasileiros possuem aparelhos celulares, mas muitos deles não são smartphones; portanto o meio mais eficiente de chegar a toda população ainda é através de mensagens de textos, os famosos ‘torpedos’. Tecnologia e mobilidade a serviço da saúde.

“Ferramenta digital pode reduzir até 40% dos custos com sistemas de saúde, já que se baseia em prevenção”

 

box1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *