Estresse…já existem apps para esse vilão

19 abr

Imagem completa

MEDICINA PREVENTIVA DIGITAL: Estresse e ansiedade estão presentes em todas as dimensões da sociedade e a maioria das pessoas estão desassistidas, conheça grandes inovações do momento

Por Michael Kapps*

Nos EUA, os custos com estresse e burn-out para empregadores somam 200 bilhões de dólares (Techcrunch, 2016). No Brasil, a estimativa é de que nas últimas décadas os gastos trabalhistas tenham escalado 140% pelo mesmo motivo (ISMA-BR, 2009). Um agravante é que saúde mental geralmente está associada a outras doenças. Você sabia que mais de 30% de portadores de doenças crônicas têm algum tipo de transtorno mental não tratado? (Quartet Health, 2017). Por exemplo, obesos não sofrem apenas com problemas relacionados à alimentação. Eles também sofrem com questões como ansiedade ou estresse. O mesmo é válido para pessoas com diabetes, hipertensão e uma série de doenças crônicas, uma vez que problemas com saúde mental agravam esses casos. Por isso, focar em saúde mental é essencial e para tanto, só existe uma saída: inovar! O maior caso de sucesso nos EUA é a TalkSpace.

TalkSpace

Talk1

Para ter dimensão da solução e do problema que a TalkSpace combate, ela já alcançou mais de meio milhão de pessoas com o programa de comunicação por mensagem de texto e terapia online.

O primeiro passo para participar é fazer uma avaliação clínica  por meio de uma conversa online com um dos terapeutas credenciados. Em seguida, este paciente pode optar pelo programa que lhe é mais conveniente em termos de terapia e economicamente. Após esta etapa, é só encontrar o terapeuta mais indicado e começar o tratamento.

No entanto, este é só o começo deste projeto pioneiro. Os pacientes, além de um terapeuta pessoal, podem enviar mensagens ilimitadamente que são respondidas de uma a duas vezes por dia e, se necessário, é possível agendar uma videoconferência.

As empreitadas brasileiras que caminham no mesmo sentido da TalkSpace são a Fala Freud e a PsicoLink, que têm conseguido bons resultados.

Ainda está procurando uma alternativa mais sofisticada? A Lantern Health está pensando nisso.

Lantern Health

Muito parecida com a TalkSpace, porém, com alguns detalhes adicionais. A Lantern Health também oferece sessões de coaching, check-in de estresse ou ansiedade e atividades de acordo com o check-in, até mesmo como exercícios de respiração.

Lantern1

Para começar a fazer parte do universo da Lantern Health, é  preciso participar de um processo de triagem realizado no próprio site por meio de um questionário de segmentação. Com isso, será confeccionado um plano sob medida para o usuário, que terá já indicado um profissional para supervisionar todo o processo do tratamento de bem-estar emocional. Para acompanhar de perto o paciente, é essencial que ele realize uma trilha regularmente com atividades de check-in do status emocional, aprendizados e técnicas para lidar com a saúde mental. Tudo isso é feito segundo uma perspectiva de gamificação na qual o paciente realmente interage com a tecnologia como se estivesse em um jogo online, extremamente visual e lúdico.

Não é à toa que a Lantern Health recebeu um aporte de 15 milhões de dólares. Ela realmente está proporcionando experiências terapêuticas de excelência. Agora, há também opções diferentes para lidar com a saúde mental. É o caso da Ustwo.

Ustwo

A Ustwo possui vários produtos, mas o que vem em questão é o Sway, desenvolvido em parceria com a PauseAble. Esta é inovação na área de wearables. O usuário deve usar um celular responsável por captar interações e um componente interativo (wearable) para envolver o corpo inteiro.

Sway

O conceito se baseia na arte secular chinesa conhecida como Tai Chi e é considerada uma espécie de meditação em movimento. Cada movimento que uma pessoa realizar gera um feedback visual para dispositivo móvel e sonoro para o wearable, os quais pretendem gerar uma sensação de relaxamento e melhorar os níveis de atenção.

A grande charada por trás da ideia é a prática de mindfulness em meio a rotina urbana. Em uma fila de um ônibus ou no ambiente de trabalho é possível ter 20 minutos diários para se reconectar ao corpo e estar mais focado. Uma startup com um propósito semelhante à Sway é HeadSpace (para saber mais veja nosso post sobre Hipertensão Digital).

Conclusão

Com o cenário assustador levantado na introdução e todas estas novidades tecnológicas, torna-se mais evidente a magnitude da prevenção de questões ligadas à saúde mental. Isto é ainda mais preocupante porque muitas pessoas continuam desassistidas frente este problema invisível, sério e que provoca enormes prejuízos econômicos à sociedade e às organizações.

Embora as iniciativas no Brasil neste sentido ainda sejam muito incipientes, nós da Tá-Na-Hora podemos ajudar você a ser pioneiro na prevenção de doenças relacionadas à saúde mental no Brasil. Entre em contato conosco!

*Michael Kapps é CEO & cofundador da Tá-Na-Hora Sáude Digital. LinkedIn: http://www.linkedin.com/in/michaelkapps. 

3 thoughts on “Estresse…já existem apps para esse vilão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *