A Tá.Na.Hora quer transformar o monitoramento de hipertensos via celular no Brasil

10 maio

arte post

O programa da Tá.Na.Hora, que usa “chatbots” via SMS e facebook messenger, educa, engaja e monitora pacientes hipertensos. Aprenda como nós criamos esse serviço inovador aqui!

Por Leandro Racuia *

Hipertensão, diabetes, obesidade e outras doenças crônicas deveriam estar na lista de prioridade dos sistemas de saúde. Afinal, estas doenças representam um custo anual de R$287 bilhões de dólares, cerca de 60% do total de gastos com saúde – sendo que, eliminando os fatores de risco, haveria uma economia de R$100 bilhões. Além disso, são responsáveis por 72% dos casos de óbito no Brasil (Coalizão de Saúde Brasil, 2017). Em resumo, os motivos para falar de cuidados primários à saúde são: a eficiência em custos e prevenção de situações de risco.

Aliás, mesmo com a melhora de hábitos dos brasileiros, temos um laudo evolutivo negativo para hipertensão, por exemplo. Apesar da redução da carga tabágica, da alimentação mais rica em vegetais e aumento da prática de atividade física, o número de pessoas consideradas hipertensas aumentou em 18% desde 2006. O que há para fazer frente a esta realidade?

FRFonte: Vigitel; DataSus. Retirado de Coalizão Saúde Brasil.

Como a Tá.Na.Hora está percorrendo esta jornada?

No começo, a prioridade partiu da observação que hipertensão e diabetes estavam entre as doenças que mais acometiam as pessoas, em larga escala. Era um público amplamente negligenciado e que sofria desde as mais leves às mais severas consequências. Por isso, a Tá.Na.Hora decidiu criar programas de saúde que configuravam chatbots via envio de SMS e Facebook Messenger.

Com o objetivo de abraçar hipertensos e diabéticos – muitos a margem dos sistema de saúde -, a Tá.Na.Hora adotou o tripé de educar, engajar e monitorar pacientes e populações de risco.  Para ilustrar, vamos contar mais sobre o nosso Programa de Hipertensão.

Exempmessa

 

No Programa de Hipertensão, os participantes são assistidos por mensagens divididas entre conteúdos interativos e informativos acerca da doença no geral e dicas úteis para o público. Ainda é muito importante para nós que mobilizar estes pacientes para que eles ativamente assumam comportamentos mais saudáveis, principalmente quanto a alimentação e prática de atividade física.

Para se aprofundar ligeiramente, um dos pilares de monitoramento é verificar as funções cardiovasculares em quem está sendo acompanhado. Dor no peito ou falta de ar são sintomas básicos, mas que dizem muito sobre o estado de saúde de hipertensos. Assim, monitorá-los de acordo com estes sintomas e outros irão compor um quadro para avaliação integral periódica dos participantes.

Deste modo, espera-se que quaisquer situação de agravamento seja prontamente identificada, possibilitando uma ação de prevenção a qual reduz o custo econômico da doença ao mesmo tempo em que proporciona melhor qualidade de vida a quem recebe as mensagens. O conceito tem gerado resultados convincentes. Alguns deles seguem abaixo:

  • As situações de risco foram identificadas e resolvidas duas vezes mais rápido
  • Houve uma redução de custo de 48% comparativamente a Call Centers.
  • Mais da metade dos pacientes respondem ao menos 75% das mensagens no mês
  • 75% dos participantes relataram achar as dicas úteis e adotaram comportamentos mais saudáveis
  • Taxa de satisfação está em torno de 87% para respondentes

pacdep

Um estudo adicional sobre tecnologias similares a da Tá-Na-Hora nos EUA revelou que 17% dos pacientes reportaram redução da pressão arterial sistólica, um fator de risco para infartos e AVCs (Journal of the American Medical Association).

Fora alguns benefícios adicionais identificados durante o programa. Isto porque um dos atributos da nossa tecnologia é encontrar palavras-chave que podem ser importantes para o quadro do paciente com hipertensão. Se um usuário enviar a mensagem “sangramento no nariz”, automaticamente será enviado uma notificação de risco tanto à organização quanto aos profissionais de saúde responsáveis com objetivo agilizar ao máximo o atendimento.

E quem pode se beneficiar do nosso Programa?

O Programa de Hipertensão está alinhado com a necessidade de eficiência em custos e prevenção de doenças. Ou seja, as soluções lidam diretamente com a prevenção de eventos adversos – mais custosos as operadoras de saúde, seguradoras e sistema público de saúde – além de aumentar a satisfação devido a cuidados mais personalizados com a saúde. Fora as empresas, que constantemente enfrentam questões importantes sobre absenteísmo e presenteísmo.

A Tá.Na.Hora ainda tem vários outros programas. Entre eles estão: o Programa de Diabetes; Bem-estar; Gravidez Saudável. Para saber mais da Tá-Na-Hora acesse nosso site ou entre em contato conosco.

*Leandro Racuia é o growth hacker da Tá.Na.Hora Sáude Digital. LinkedIn: https://www.linkedin.com/in/leandroracuia/. 

4 thoughts on “A Tá.Na.Hora quer transformar o monitoramento de hipertensos via celular no Brasil

  1. Oi Gente, estou fazendo uma visitinha por aqui.
    Gostei bastante do site, vou ver se acompanho toda semana suas postagens
    Gosto muito desse tipo de conteúdo um Abraço 🙂

  2. Oi Gente, estou fazendo uma visitinha por aqui.
    Gostei bastante do site, vou ver se acompanho toda semana suas postagens
    Gosto muito desse tipo de conteúdo um Abraço 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *